RETA FINAL DAS ELEIÇÕES NO SUL DA BAHIA.

19:15Carlos Alberto-Jornalismo sério


RESUMO DE NOTICIAS DA BAHIA NA RETA FINAL DAS ELEIÇÕES 2012.

NETO GUERRIERI FAZ CAMINHADA FINAL EM EUNÁPOLIS, NA BAHIA.


Considerado como virtual prefeito de Eunápolis no extremo sul da Bahia, Neto Guerrieri mostrou no último dia de campanha, que tem grande aceitação popular quando fez um carreta pelas ruas de Eunápolis, sendo aplaudido por todo o percurso.
VEJA AS FOTOS;














Mais das eleições no sul da Bahia.

TIMÓTEO PODE TER O REGISTRO CASSADO E PERDER O MANDATO DE DEPUTADO ESTADUAL
Por: Sulbahianews/Ascom - 06/10/2012. 



                                         Os advogados da coligação UM NOVO CAMINHO protocolaram nesta quinta feira 05 de outubro, uma AÇÃO DE INVESTIGAÇÃO JUDICIAL ELEITORAL  após reunir provas de que o candidato TEMÓTEO ALVES DE BRITO estruturou sua campanha com o serviço de assessores do seu gabinete. Vários assessores que deviam prestar expediente na assembleia legislativa estão desde o início da campanha eleitoral coordenando e participando da campanha eleitoral do deputado que disputa a prefeitura de Teixeira de Freitas.
O advogado, Dr. Emmanuel Ferraz, esclarece que: 
“Desde o início da campanha tivemos algumas informações, mas só agora pudemos confirmar e provar documentalmente e por fotos, que o deputado Temóteo Alves de Brito praticou conduta vedada e cometeu ato de improbidade administrativa, o que segundo a jurisprudência do TSE acarreta em cassação do registro de candidatura, cassação do mandato de deputado estadual e a decretação de inelegibilidade por oito anos. Foi o próprio deputado que atraiu para si essas penalidades quando praticou atos de corrupção administrativa e eleitoral”.


                                            A peça inicial do processo descreve que o deputado incorreu na conduta vedada prevista no art. 73, incisos II e III da lei 9.507/97 que configura ABUSO DE PODER POLÍTICO, além disso, o deputado responderá após apreciação do Ministério Público por ato de improbidade administrativa previsto no art. 9º, inciso IV, e 11, inciso I da lei 8.429/92.
O processo traz diversas fotos dos senhores GEDEMÁRCIO GUIMARÃES, JAILSON DOMINGOS DA CRUZ, ERIVALDO OLIVEIRA SILVA, TARCÍSIO CERQUEIRA E JEAN DOUGLAS FUMUIO SHINOZAKI participando de atividades políticas em horário em que deveriam estar prestando expediente na ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA DA BAHIA, em Salvador.


                             O maior absurdo é que o Sr. JEAN DOUGLAS FUMUIO SHINOZAKI, assessor do deputado e pai do candidato a vereador IURI DA TAJON, assinou diversas atas perante a justiça eleitoral na condição de representante da coligação do candidato TEMÓTEO ALVES DE BRITO, justamente no horário em que deveria estar trabalhando em Salvador, ou seja, estava recebendo dinheiro público para fazer atividades de campanha para o candidato a prefeito, e fez isso de forma escancarada nas barbas da justiça eleitoral.
O Sr. JAILSON DOMINGOS DA CRUZ, também aparece como representante da coligação do candidato em reunião em que a TV SUL BAHIA acertou as regras para o debate ocorrido no último dia 30, em pleno horário de expediente na Assembleia Legislativa.


                                      Essa farra com o dinheiro público pode custar não só o registro à candidatura de prefeito, como também a cassação do seu mandato como deputado estadual, pois houve desvio de recursos humanos da máquina pública para atender a interesses privados do deputado, interesses eleitoreiros. Ao buscar vantagem indevida, utilizando recursos públicos para beneficiar a sua candidatura o deputado assumiu o risco de perder tudo e ainda ficar inelegível por 8 anos em decorrência da aplicação da LEI DA FICHA LIMPA. 
Diversos casos semelhantes terminaram na aplicação das sanções mais graves, e, diante da gravidade do caso, em que foi tudo feito na frente da justiça eleitoral, em reuniões com o próprio juiz eleitoral é de se esperar uma ação enérgica da justiça para reprimir essa zombaria cometida pelo deputado contra a sociedade e contra a própria justiça eleitoral.


O deputado, agora, além de amargar um segundo lugar cada vez mais distante nas pesquisas, convive com a possibilidade de não ser mais candidato e ainda perder o mandato de deputado estadual, ficar inelegível, tendo que devolver para os cofres públicos os salários pagos aos assessores que trabalharam em sua campanha.

Com informações de SualbahiaNews/ASCOM.

Você pode gostar de...

0 comentários

Criticas ou sugestões?

Nome

E-mail *

Mensagem *

Visitantes