E O PAPA NÃO É MAIS POP: BENEDITO XVI ENTREGA O REMO DO BARCO DE SÃO PEDRO E ENTRA EM CLAUSURA!

11:50Carlos Alberto-Jornalismo sério



 Envelhecido, abatido e doente além de desgastado pelas posições que tomou, contra a pedofilia e o casamento entre gays, contrárias a muitos interesses dos  verdadeiros “donos” da igreja de Roma, o Papa Bento XVI, deixa o sacrossanto ministério petrino sem comandante.























A carta de renúncia.

Tudo é possível ao que crê diz a Bíblia. Só não foi mesmo possível, governar e unir milhões de católicos pelo mundo afora em meio a tanta dissensão, coisas ocultas, fatos estranhos diuturnamente revelados pela mídia em todo o mundo, como os escândalos de pedofilia extremamente abundantes por séculos no seio da santa madre igreja, as festas secretas e devassidões narradas em tantos livros proibidos de ler pala cúpula do Vaticano aos seus membros, e muita, mas muita coisa a esclarecer nos porões da igreja católica, indevassável por muitos séculos de uso da força da religião (e religião, está provado, não salva a alma de ninguém!) e que fez com que aos poucos, milhões de seguidores de uma religião que por mais de 600 anos os proibiu de ler aquele que seria o principal farol de qualquer religião ou seita: o seu livro sagrado, que ao contrário dos muçulmanos, que o seguem cegamente e de maneira até fanatizada, jamais tiveram a oportunidade de abrir os olhos e verem os incontáveis erros e perfídias que se esconderam por trás da venerada fulgura do papa e é claro de seus comandados que aos montes escondem-se por trás da fortuna e do brilho das riquezas que está por trás da figura do papa, e o do incontável manancial de recursos financeiros do qual é dono o intocável Vaticano e sua  mesquinha e misteriosa relação com o poder, com os grandes reis, e os grandes ditadores como Adolf Hitler, que segundo alguns historiadores, teve suas mãos beijadas por papas que negociaram a  intocabilidade do reinado de Roma. Um barco sem timoneiro, ou não faria grande diferença em face de desagregação por que passa a igreja católica em todo o mundo, com a perda das vocações sacerdotais, onde tão poucos querem ser padres, face ao medo da exposição em escândalos que assolam o mundo inteiro por cima desta antes intocável, reverenciada e respeitada figura do padre, em quem nossos pais e avós confiavam cegamente e nos obrigavam igualmente a confiar qual ovelhas cegas ante lobos em pele de cordeiro, em muitos casos?
Fracassada, dividida e tendo muito que explicar diariamente sobre o comportamento de seus comandantes em todo o mundo, a igreja de Roma, conseguirá responder a pergunta que se faz a ela todos os dias e que é; “onde irá parar o nosso barco”? O papa não é mais pop!

Karlão-Sam



SAIBA MAIS:
O alemão Joseph Ratzinger, 85 anos, se tornou Papa em abril de 2005. Ele substituiu João Paulo II, que morreu no mesmo mês. Ao contrário do atual pontífice, João Paulo II permaneceu no posto mesmo doente até sua morte, aos 92 anos. 
Bento XVI deveria vir ao Brasil em julho deste ano. Ele participaria da Jornada Mundial da Juventude que acontecerá no Rio de Janeiro.
Renúncia Papal
A renúncia de um Papa está prevista no Código de Direito Canônico, que estabelece que para que seja válida é necessário que seja livre e especifica que não precisa ser aceita por ninguém.
Bento XVI não está 'triste ou deprimido', diz porta-voz.
"Se o Romano pontífice renunciar a seu ofício, requer-se para a validade que a renúncia seja livre e se manifeste formalmente, mas que não seja aceita por ninguém", estabelece o cânone 332,2 do Código de Direito Canônico, único elemento válido para julgar o tema.
O último Sumo Pontífice a renunciar foi Gregório XII, em 1415. Bento XVI é o quarto Papa a renunciar ao cargo. 
Confira a íntegra do comunicado de Bento XVI:
Queridos irmãos,
Eu convoquei vocês para esse Consistório, não apenas para as três canonizações, mas também para comunicá-los de uma decisão de grande importância para a vida da Igreja. Após ter repetidamente examinado minha consciência ante Deus, eu tive a certeza de que as minhas forças, devido à idade avançada, não são mais ideais para um adequado exercício do ministério Petrino. Eu estou bem consciente de que esse ministério, devido à sua essencial natureza espiritual, deve ser realizado não só com palavras e ações, mas não menos com orações e sofrimento. Contudo, no mundo de hoje, sujeito a rápidas mudanças e agitado por questões de profunda relevância para a vida da fé, de modo a governar a casa de São Pedro e proclamar o Evangelho, ambas as forças mental e de corpo são necessárias, forças que em mim nos últimos meses se deterioraram a um ponto que eu tenho de reconhecer minha incapacidade para cumprir adequadamente o ministério a mim confiado. Por esta razão, e totalmente ciente da seriedade do ato, com toda a liberdade eu declaro que renunciarei ao ministério do Bispo de Roma, Sucessor de São Pedro, a mim confiado pelos cardeais em 19 de abril de 2005, de maneira que, a partir das 20h do dia 28 de fevereiro, a Sé de Roma, a Sé de São Pedro, estará vaga e um Conclave para eleger o novo Sumo Pontífice deverá ser convocado por aqueles competentes para isso.
Queridos irmãos, eu os agradeço com muita sinceridade por todo amor e trabalho com o qual vocês apoiaram o meu ministério e peço perdão por todos os meus defeitos. E agora, confiemos a nossa Santa Igreja aos cuidados de nosso Supremo Pastor, nosso Senhor Jesus Cristo, e implorar que sua sagrada Mãe Maria para que ela ajude os Padre Cardeais com a sua solicitude materna na eleição do novo Sumo Pontífice. Em relação a minha pessoa, eu desejo também devotadamente servir a Santa Igreja de Deus no futuro através de uma vida dedicada a orações.
Bento XVI





Você pode gostar de...

0 comentários

Criticas ou sugestões?

Nome

E-mail *

Mensagem *

Visitantes