ESCÂNDALO DA CARNE DE CAVALO CONTINUA RENDENDO CONFUSÃO. PODE OU NÃO COMER. SAIBA AQUI

18:24Carlos Alberto-Jornalismo,isento e sem compromisso com mentiras.!


ENGANAÇÃO: REDE DE SUPERMERCADOS BRITÂNICA VENDIA HAMBÚRGUERES QUE CONTINHAM CARNE DE CAVALO



Na última terça-feira (15), inspetores de alimentos da Irlanda encontraram mais de 30% de carne de cavalo na composição dos hambúrgueres ditos de carne bovina vendidos pela marca "Tesco".

A rede de supermercados Tesco, do Reino Unido, pediu desculpas aos seus clientes e consumidores nesta quinta-feira (17) por ter vendido hambúrgueres que continham carne de cavalo em sua composição.

Por meio de anúncios de página inteira em vários jornais do país, a rede afirmou que irá investigar todo o caso e garantiu o reembolso total a quem ainda tiver os produtos em casa.

Na última terça-feira (15), inspetores de alimentos da Irlanda encontraram mais de 30% de carne de cavalo na composição dos hambúrgueres ditos de carne bovina vendidos pela marca "Tesco".

As autoridades de saúde do Reino Unido disseram que os produtos contaminados não representam perigo à saúde humana e que todos os exemplares do produto haviam sido retirados de circulação.

CRISE

A notícia da descoberta de carne de cavalo gerou uma queda das ações da empresa na bolsa de valores de Londres nesta quarta-feira (16).

O primeiro-ministro David Cameron considerou "uma situação completamente inaceitável" e pediu uma investigação completa e urgente por parte da agência de alimentos do governo.

"As pessoas no nosso país ficaram muito preocupadas ao saber que enquanto pensavam estar comprando hambúrguer bovino, eles na verdade compravam algo que tinha carne de cavalo", disse. 

PRA ENTENDER TUDO:

Carne de cavalo pode estar em qualquer lugar, dizem especialistas



A polêmica com o uso de carne de cavalo continua e, na noite da última sexta-feira (08), a polícia britânica foi acionada a investigar jantares servidos em escolas. As informações são do site do jornal britânico The Sun.

Especialistas da indústria acreditam que a carne de cavalo pode estar em qualquer lugar, incitando assim uma crise alimentar nacional.
As investigações foram motivadas depois de suspeitas de que a carne de cavalo pode estar sendo servida não só em escolas, mas também em hospitais, pubs, cafés e restaurantes. 
Na última sexta-feira (08), a rede de supermercados Aldi confirmou que dois produtos oferecidos em suas gôndolas, a lasanha e o espaguete à bolonhesa, continham entre 30% a 100% de carne de cavalo. Ambos foram retirados das prateleiras.
Com o escândalo tomando maiores proporções, agentes da Food Standard Agency (FSA), agência que regula produtos alimentícios no país, pedem que as pessoas não entrem em pânico mas não comam os alimentos que contém a carne equina.
O Secretário de Desenvolvimento, Owen Paterson, disse que alguns produtos utilizados em escolas serão testados e, nos próximos dias, ele deve se reunir com representantes de redes de supermercado para discutir a crise.
Catherine Brown, da FSA, disse que "a evidência aponta para negligência grave ou contaminação deliberada na cadeia alimentar”.  A origem das suspeitas foi a descoberta de que uma loja de alimentos da Irlanda do Norte utilizava 80% de carne de cavalo em alguns produtos. “Recebemos a informação de que empresas britânicas poderiam estar envolvidas com o comércio ilegal da carne de cavalo”, disse Mary Creagh, secretária do desenvolvimento.  
saiba mais.
O caso começou a tomar outras proporções quando foi divulgada a informação de que a empresa Findus vinha vendendo lasanha com carne de cavalo desde agosto de 2012. A FSA encontrou na informou, na última terça-feira (5), que 11 amostras da marca continham de 60% a 100% de carne equina.
Especialistas afirmam que pessoas que adoeceram por ingerir este tipo de alimento poderiam processar as empresas em £ 10 mil por “angústia mental”, até £ 75 mil se puderem provar que a ideia de terem ingerido este tipo de carne tenha causado uma tortura mental e pensamentos suicidas.
UM POUCO MAIS:


COMER CARNE DE CAVALO É TOTALMENTE 

SAUDÁVEL.

            Vai um "Mac cavalo-burguer" aí?
Mas comer carne de cavalo é saudável?

Segundo especialistas sim e dependendo da forma de preparo são muito saborosos. Assim como no caso dos bovinos, se a origem da carne for confiável não há problema nenhum em consumir este tipo de carne. O problema óbvio foi que os consumidores não sabiam que estavam comendo carne de cavalo.

                            Já pensou na ideia?
Porque não gostamos da ideia de comer cavalos?
Porque comer carne de cavalo é um tabu cultural para muitos povos, inclusive para os brasileiros. Os cavalos sempre foram animais muito úteis para as pessoas, são companheiros dos fazendeiros, até hoje são utilizados como meio de transporte e já ajudaram até nas guerras. Por isso esses animais são vistos mais como animais de estimação e parceiros, não faria sentido você comer o seu parceiro, certo?

E a rede Burguer King, quem diria!
Burger King admite que hambúrgueres na Irlanda tinham carne de CAVALO.


             Tem alguém aí viciado em hambúrgueres?

A rede de fast-food Burger King admitiu na noite de quinta-feira que alguns de seus hambúrgueres fabricados na Irlanda continham carne de cavalo.

Em um comunicado, a companhia afirmou que exames em amostras de carne processadas no frigorífico Silvercrest, na Irlanda, constataram a presença de DNA equino no produto.

"Os resultados de nossos testes de DNA independentes dos produtos retirados dos restaurantes foram negativos para DNA equino. Mas quatro amostras recolhidas recentemente da fábrica de Silvercrest mostraram a presença de níveis muito pequenos de DNA equino", informou a empresa no comunicado.



"Dentro de 36 horas, estabelecemos que a Silvercrest usou uma pequena porcentagem de carne importada de um fornecedor não aprovado na Polônia. Eles prometeram entregar hambúrgueres de carne 100% britânica e irlandesa e não cumpriram. Este é um desrespeito claro às nossas especificações, e encerramos nossa relação com eles."

Em um comunicado publicado no jornal britânico "Guardian", o vice-presidente de qualidade global da rede comprada por um fundo brasileiro em 2010, Diego Beamonte, afirmou que a companhia está "profundamente incomodada" com os resultados dos exames.

No entanto, Beamonte foi cauteloso ao responder perguntas sobre o risco de clientes do Burger King terem consumido carne de cavalo. "O exame para (detectar) DNA equino não é um procedimento padrão usado na produção de carne", disse.

Mas a companhia diz que vai analisar se serão necessários mais testes de DNA e maior controle na produção. "Vamos nos dedicar a determinar quais as lições que podem ser aprendidas e quais as medidas adicionais, incluindo testes de DNA e maiores controles de origem que poderão ser acrescentados", afirmou.

INVESTIGAÇÃO

Este é mais um capítulo do escândalo envolvendo a descoberta de carne de cavalo em hambúrgueres vendidos em grandes redes de supermercados do Reino Unido e Irlanda. Em janeiro, autoridades dos dois países começaram a investigar a contaminação de hambúrgueres de carne bovina por carne de cavalo.

A contaminação foi descoberta pelas autoridades de saúde da Irlanda, que examinaram 27 produtos diferentes e constataram que 10 deles tinham traços de DNA de cavalos e 23 continham DNA de porcos.

Segundo as autoridades dos dois países, o consumo dos hambúrgueres não trazia riscos à saúde, mas os produtos já foram retirados das prateleiras dos supermercados.

Em uma das amostras pesquisadas, a carne de cavalo representava 29% do conteúdo total de carne de um hambúrguer congelado.

O escândalo levou a maior rede de supermercados do Reino Unido, o Tesco, a colocar anúncios de página inteira em vários jornais do país se desculpando por vender hambúrgueres que continham carne de cavalo.

Quantidades menores também foram encontradas em hambúrgueres vendidos pelos supermercados Iceland, Lidl, Aldi e Dunnes. As investigações continuam na Irlanda, Reino Unido e Polônia, onde fica um fornecedor de carne usado pelo frigorífico Silvercrest durante um ano.

O escândalo levou a maior rede de supermercados do Reino Unido, o Tesco, a colocar anúncios de página inteira em vários jornais do país se desculpando por vender hambúrgueres que continham carne de cavalo.

Quantidades menores também foram encontradas em hambúrgueres vendidos pelos supermercados Iceland, Lidl, Aldi e Dunnes. As investigações continuam na Irlanda, Reino Unido e Polônia, onde fica um fornecedor de carne usado pelo frigorífico Silvercrest durante um ano.




 EMPRESA  FRANCESA SABIA DA HISTÓRIA DO CAVALO. 

A empresa francesa Spanghero, que o Governo de Paris suspeita que está no centro do escândalo da carne de cavalo picada encontrada um pouco por toda a Europa misturada em pratos pré-cozinhados de carne de vaca recuperou a licença sanitária para a produção de carne picada, salsicharia e elaboração de pratos cozinhados, anunciou o ministro francês da Agricultura.

 Mas continua proibida de armazenar matérias-primas congeladas.

“Foram já verificados 80% dos stocks de todas as carnes existentes na empresa, e o trabalho continuará nos restantes 20%”, disse o ministro Stéphane Le Foll. É esperado na sexta-feira o relatório definitivo sobre a situação sanitária na empresa onde as autoridades pensam que a identificação da carne de cavalo importada da Roménia, através de intermediários holandeses, terá sido alterada para passar a constar como sendo de vaca.

Barthélémy Aguerre, o proprietário da Spanghero, tem dito que acreditava estar sempre a usar carne de vaca e não de cavalo. Mas a sua defesa é considerada surpreendente pelas autoridades francesas: diz que não conhece o código de oito números que identifica a carne de cavalo de congelada, para efeitos aduaneiros. Mas as facturas passadas pela sua empresa quando transfere carne congelada para outra empresa envolvida neste caso, chamada Tavola, onde são preparadas refeições congeladas, usam o mesmo sistema de código, explica o Libération.
O ministro da Agricultura francês receberá ainda hoje uma delegação dos trabalhadores da Spanghero - 300 pessoas poderão ficar sem emprego se a companhia fechar, um argumento que Aguerre esgrimiu logo desde o início. A Spanghero fica localizada numa região bastante deprimida, onde a taxa de desemprego tonda os 13,5%.

O empresário que dirige outra empresa de produção de carnes no sudoeste de França, chamada Arcardie não tem uma reputação intocável nos negócios. Segundo a revista Nouvel Observateur, já teve problemas na justiça em 2008 com esta cooperativa, “por fraude relativamente às qualidades substanciais e à origem de um produto, fraude agravada com riscos para a saúde humana e colocação à venda de bens perecíveis estragados”.

FONTE; INTERNET.


O Brasil é um dos maiores exportadores de carne de cavalo



O que muita gente não sabe é que o Brasil é um dos maiores nomes mundiais em mortes de cavalos para consumo. Há mais de 50 anos, uma empresa localizada em Araquari, Minas Gerais, compra cavalos que não servem mais para o trabalho forçado, mata e vende os corpos em pedaços, principalmente para o mercado Europeu.

Ironicamente, o nome da empresa é “Frigorífico Prosperidade”. O matadouro mantém uma marca de carnes de cavalo chamada “Fava” e tem parcerias sólidas com a prefeitura da cidade de Araguari, município que fica a 671 km de Belo Horizonte e tem pouco mais de 100 mil habitantes.

Em seu site a empresa explica detalhadamente todos os procedimentos e alega que a carne de cavalo é saborosa e saudável. No Youtube é possível assistir a um vídeo que mostra a empresa por dentro. 

Ainda a propósito do abate de cavalos; se vc. quiser deixar de ser enganado, e tem estômago forte, saiba que o Brasil é o maior exportador de carne bovina  do mundo!. E se quiser ver e comprovar, ali em Araguari,MG, tem um abatedouro.

Veja o vídeo e responda: Vale a pena tanta crueldade. Você comeria um dos seus melhores amigos?

SE QUISER VEJA O VÍDEO: http://www.youtube.com/watch?v=4hdVrg9j1Fw

Não concorda com a exploração e morte de animais? Dê uma chance ao veganismo!

Milhões de pessoas em todo o mundo têm se dado conta de que não é necessário comer animais para ter uma vida saudável. Na verdade, pesquisas mostram que uma alimentação livre de proteínas de origem animal e gordura saturada garante uma vida mais longa e mais saudável. Entenda mais sobre a filosofia de vida chamada “veganismo”: www.sejavegano.com.br.


Você pode gostar de...

0 comentários

Criticas ou sugestões?

Nome

E-mail *

Mensagem *

Visitantes