(INSEGURANÇA) PÚBLICA DO DF: ALGUÉM ESTÁ MENTINDO NESSES NÚMEROS: E MUITO!

16:25Carlos Alberto-Há 40 anos vivendo Brasília!

O titular da segurança diz uma coisa... e os números reais mostram outra!

SEMPRE A MESMA CONVERSINHA... E PROVIDENCIAS CONTRA A VIOLÊNCIA... NADA!!!



Primeiro veja esse vídeo de Dezembro de 2012 e responda: 
o que mudou no espectro da violência no DF? 
Onde estão os tais reforços de mais homens nas ruas. Adianta o que prender quem está se drogando, se daí a duas horas eles estarão nas ruas de novo? KD as políticas de combate ao crack e a violência por ele gerada?


DEPOIS, OS NÚMEROS DE 2013. FICA FÁCIL VER QUE ALGUÉM ESTÁ MENTINDO:



O Distrito Federal está dentre os Estados brasileiros com maior índice de violência do País, ficando em 9º lugar no país no total de crimes cometidos por armas de fogo. 
O último final de semana apontou cerca de três sequestros relâmpagos. (Foto: Reprodução da Internet)
O Distrito Federal já pode ser comparado ao Rio de Janeiro, não pelas paisagens esplendorosas, mas sim pelos índices de violência alarmantes dos últimos anos. A capital ocupa o 9º lugar, com uma média mensal de 54 homicídios por arma de fogo- os dados fazem parte do Mapa da Violência 2013 — Mortes matadas por armas de fogo. O último final de semana, ocorreram cerca de 3 sequestros relâmpagos, seguidos de oito mortes. 

Com a renda per capita mais alta do País, Brasília agora serve de celeiro para traficantes, inclusive aqueles expulsos dos morros do Rio. O estudo apontou que 70% dos vitimados por morte violenta no país têm entre 15 e 29 anos. De acordo com a pesquisa, a taxa de homicídios por arma de fogo no país aumentou 178% em três décadas, passando de 7,3 mortes por 100 mil habitantes. O índice subiu de 9,1 para 42,5 óbitos por 100 mil habitantes no mesmo período.

O final de semana foi sangrento no DF, pelo menos oito assassinatos aconteceram entre a noite de sexta-feira, 8, e esta madrugada, 11. Foram sete homicídios entre sábado e a madrugada de hoje, 10. Os crimes ocorreram em Santa Maria, Planaltina, dois no Riacho Fundo e três em Ceilândia.

Em 24 dias, o Distrito Federal registrou 47 casos de sequestro relâmpago. A prática vem se tornando freqüente na cidade e as vítimas, antes escolhidas de acordo com suas condições econômicas, hoje não têm perfil definido. Os criminosos, muitas vezes, estudam as pessoas e observam bem os pontos onde há pouca movimentação. Mais uma vítima de sequestro-relâmpago, foi pega pelos bandidos quando saía de um mercado na manhã deste sábado, 9. De acordo com a polícia, ele foi rendido por dois homens armados, que rodaram com ele por quase uma hora antes de fugirem com o carro em Planaltina.

Violência no entorno

O governo de Goiás deve atentar-se ao número de traficantes que assolam a comunidade. Porém não deixa de ser uma preocupação do GDF, pois muitas regiões administrativas são próximas a esses locais, controladas pelo crime organizado e tráfico intenso. Os índices mostram aproximadamente 5 assassinatos, em média diariamente, nessas regiões.

Visão de especialistas

O sociólogo da universidade de Brasília e especialista em segurança, Antônio Testa, não vê uma causa especifica para o aumento da violência no DF, mais aponta algumas soluções. “A violência é um problema social, e, a única saída, seria investir em educação para tentar minimizar o impacto, que esse mal vem causando a sociedade”, enfatizou.

“Ação imediata”

A criação do Programa Ação Imediata surgiu para quebrar o fenômeno criminológico que envolve o acerto de contas como principal motivação para as mortes violentas no Distrito Federal. A primeira cidade escolhida para receber o programa, foi o Paranoá, onde apontou que houve uma redução de 57% no índice de homicídios na região em um período de apenas seis meses. Geralmente, os homicídios praticados na capital possuem relação interpessoal entre vítima e autor.
Por Crislene Santos
Da Redação

Você pode gostar de...

0 comentários

Criticas ou sugestões?

Nome

E-mail *

Mensagem *

Visitantes