OPERAÇÃO MIQUÉIAS DA POLÍCIA FEDERAL PÕE OS PÉS NO CONGRESSO NACIONAL E PALÁCIO DO BURITI

09:50Carlos Alberto-Há 40 anos vivendo Brasília!


Operação da Polícia Federal põe os pés na porta do Congresso Nacional e do Palácio do Buriti. Será que entram lá?
Tem figurão tremendo na base!

Esse iate de uma das marcas mais caras do mundo vale mais de 5 milhões de reais

Lamborghini Gallardo, no valor de1 milhão e 600 mil reais!
A s operações Miquéias e Elementar, deflagradas pela Polícia Federal, são fruto de pelo menos três apurações iniciadas pela Polícia Civil do DF anos atrás. Os trabalhos, entretanto, não deslancharam em razão de inúmeras interferências políticas ou acabaram inviabilizadas graças a vazamentos de interceptações telefônicas dentro da corporação brasiliense.
Uma organização criminosa com ramificações e poder de influência na Presidência da República, no Congresso Nacional, na Polícia Civil do Distrito Federal e em prefeituras de cidades espalhadas por pelo menos nove unidades da Federação. Foi o que descortinaram as operações Elementar e Miquéias, conduzidas pela Polícia Federal e pelo Núcleo de Combate às Organizações Criminosas (Ncoc) do Ministério Público do DF e Territórios (MPDF

Foram precisos sete anos para que o megaesquema pudesse ser revelado pela PF, que identificou empresas de fachadas, uso de laranjas para aberturas de contas bancárias e movimentações milionárias. Com os suspeitos, inclusive, a PF apreendeu vários veículos de luxo, entre eles, uma Ferrari e um Lamborghini Gallardo, avaliados em R$ 1,6 milhão cada.
A investigação promete ter mais de uma ramificação. Outros dois inquéritos correm na PF e começam a revelar supostos envolvimentos de políticos ou de pessoas ligadas a áreas sensíveis dos governos local e federal. Desde a última quinta-feira, houve 20 prisões. 
As investigações chegaram a parlamentares do Congresso Nacional e começa a se alastrar por outros órgãos da Esplanada e do governo local.

Com recursos desviados, atos de corrupção e lavagem de dinheiro, os suspeitos de integrar a quadrilha levavam uma vida luxuosa. A lista de crimes praticados é tão grande quanto rentável: R$ 300 milhões teriam sido movimentados apenas nos últimos 18 meses, quando a PF afunilou as investigações. Na última quinta-feira, 20 integrantes do grupo foram presos.

Correio Braziliense-21.09.13

Opinião:

Quando se prende pequenas bandidos já chamados comumente de "pés de chinelo" ou pequenas quadrilhas, os repórteres de programinhas sensacionalistas, escancaram  nas delegacias e portas de viaturas, chamam de  meliantes, com entrevistas sensacionalistas, palavrões, gírias e puxas-saquismo aos policiais. Estão esperando o que para fazer o mesmo com essa quadrilha de ratos de grande porte, e mostrar os nomes e caras de todos os envolvidos inclusive de alto escalão.
Medo de que?

Você pode gostar de...

0 comentários

Criticas ou sugestões?

Nome

E-mail *

Mensagem *

Visitantes