PEDRO MIGUEL 17 ANOS; MORREU POR ATENDIMENTO INADEQUADO, DISPLICENTE E POR FALTA DE AMBULÂNCIA NO HOSPITAL DE SAMAMBAIA! QUANTO CINISMO!

13:09Carlos Alberto-Jornalismo,isento e sem compromisso com mentiras.!

Pedro Miguel foi espancado, depois levado ao Hospital de Samambaia. A médica deu um atendimento “meia boca,” mandou-o para casa e ele...morreu!



Ao dar entrada no hospital Regional de Samambaia, passando mal, vomitando, com dores no corpo, Pedro Miguel, não sabia que aqueles eram seus últimos momentos de vida, e que se tornaria mais uma vítima, um número a mais nas estatísticas doentes do mau atendimento na saúde pública do DF e de todo o Brasil, contrastando com o  trilionário sistema de arrecadação de impostos, que só em Janeiro desse ano, chegou a mais de 178 bilhões de reais, e não consegue dar ao povo que o paga, a respectiva contrapartida, com atendimento e hospitais de qualidade.
O adolescente Pedro Miguel Fonseca Dias, de 17 anos, morreu após esperar sete horas por uma transferência hospitalar. Sem ambulância, ninguém conseguiu fazer a remoção do jovem. 
Para piorar o problema, a família acusa a médica de não ter dado o atendimento correto.
A HISTÓRIA DA MORTE DO ADOLESCENTE:
O garoto se envolveu em uma briga e foi espancado. A família levou o jovem ao Hospital Regional de Samambaia na madrugada de segunda-feira (3). Ele estava passando mal e tinha um corte na cabeça.
O pai da vítima, Leonardo Fonseca, disse que a médica tirou um raio-x e o liberou.

— Ela só fez uma costura no ferimento da cabeça, depois mandou tirar um raio-x e pediu para ficar de repouso em casa.
No dia seguinte Pedro acordou sem conseguir mexer o lado direito do corpo e foi levado às pressas para o Hospital Regional de Taguatinga. No local, os médicos descobriram que ele estava com traumatismo craniano. 
E pasmem! Não havia ambulâncias para remover PEDRO MIGUEL, para uma UTI no Hospital de Base, e então, ele foi de volta para sua casa em estado pior do que chegou.
Faltaram, ambulância e vergonha na cara, de quem o atendeu, e obviamente, de toda a estrutura falida, corrompida e roubada da saúde pública aqui no DF, onde aparelhos são superfaturados de 1,5 para 4 milhões de reais, onde a caixinha impera solta e reina à boca pequena, do “eu ganho essa, você leva a próxima, mas tem que dar  a caixinha, ou o cafezinho dos “ômi”, seja nos aparelhos de medicina, seja nos vagões dos metrôs, todos cinicamente usados como máquinas de prosperidades dos canalhas e bandidos, sem vísceras, sem amor próprio, sem respeito a vida humana, e que só se importam com uma palavra; Levar vantagem, como na antiga propaganda de cigarro, maldito incentivo até hoje à corja!.
Um esquema podre, canalha e safado, que impera há muitos anos, não é só de agora, não importando a ideologia ou doutrina política, a cor da bandeira, o partido, enfim, são todos o mesmo estrume corrompido, e que é custeado pelo sacrifício daqueles que distante dos palácios de mármores, que trabalham 12, 15 horas ou mais por dia, para  sustentar  a gigantesca e pesada máquina de governo, podre, corrompida e e viciada, que não vive sem o câncer do superfaturamento, da “bola”, da propina, e que, de tão gigantesca, com seus tentáculos enormes, como uma hidra, não consegue ser apanhada e destruída, pela frágil estrutura das  tais e pobres, “ corregedorias”, “ transparência dos gastos públicos” e afins, meras quimeras e utopias, de um sistema falido, corrompido, viciado, e que vive a sugar  365 dias por ano, o sangue de um povo que já inverteu seus valores, não acreditando mais, que bons exemplos possam vir de cima!
AGORA, VEJA ESTA NOTÍCIA DE 22/7/2013 do R7. E depois responda se puder:

“Como é que se anuncia que se investiu tanto em leitos equipamentos,  contratação de pessoal, médicos, e alguém morre sem uma ambulância para ser removido?
Hospital de Samambaia terá novos leitos de emergência”
Ampliação deve ser concluída em um mês e dobrará capacidade de atendimento de casos graves

Número de leitos da ala vermelha, que recebe pacientes em estado mais grave, ampliado de três para sete.
A emergência do HRSam (Hospital Regional de Samambaia) terá o número de leitos da ala vermelha, que recebe pacientes em estado mais grave, ampliado de três para sete, após reforma iniciada na sexta-feira (19) e que deve ser concluída em aproximadamente um mês.   
— Com essa reforma, daremos mais suporte à UPA (Unidade de Pronto Atendimento), além de ampliar nossa capacidade de atendimento às urgências e emergências, explicou hoje o coordenador-geral de Saúde de Samambaia, Manoel Fontes.  
A sala amarela da emergência, que recebe pessoas em estado intermediário, continuará com os oito leitos que possui atualmente, mas ganhará pontos de oxigênio a vácuo e de ar comprimido.  
Para o diretor do Hospital Regional de Samambaia, Élio de Aguiar, a ampliação e a reforma na ala de emergência impactará no acolhimento de toda a população de Samambaia.  
— Essa reforma melhorará muito a assistência médica aos pacientes, já que dobrará a capacidade de atendimento.  
Atualmente, há redução na capacidade de leitos do box de emergência por causa das obras, mas os casos de pronto-atendimento que chegam ao HRSam são atendidos normalmente e apenas o encaminhamento de pacientes transferidos de outros hospitais e pelo Samu será restringido.
E o resultado é este!
Veja o vídeo no r-7:


DIZER O QUE, DIANTE DE TANTA CARA DE PAU E CINISMO? 

Você pode gostar de...

0 comentários

Criticas ou sugestões?

Nome

E-mail *

Mensagem *

Visitantes