MARIDO TENTA SUPERAR TRAUMA DA MORTE DA ESPOSA MORTA POR ENGANO EM SÃO PAULO

22:11Carlos Alberto-Jornalismo sério


Prestes a completar uma semana desde que esteve com sua mulher pela última vez, o porteiro Jaílson Alves das Neves, de 40 anos, ainda segura o choro. 
Ele passou os últimos dias tentando confortar as duas filhas, Yasmin, de 12 anos, e Ester Nicole, de apenas 1 ano, que neste domingo passarão o Dia das Mães em luto. No sábado passado, Jaílson foi surpreendido pelo chamado de uma prima. Ela tinha uma foto "terrível" para mostrar.
Por volta das 19h, o porteiro soube por imagens postadas no Facebook que sua mulher, a dona de casa Fabiane Maria de Jesus, de 33 anos, havia sido brutalmente espancada por uma turba de moradores de Morrinhos, na periferia do Guarujá (SP). O linchamento ocorreu horas antes, enquanto Fabiane passeava de bicicleta nas estreitas ruas de terra do bairro onde nasceu. Havia ao menos dez dias, um boato replicado no Facebook com um retrato falado alertava sobre uma mulher que supostamente raptava crianças para rituais de magia negra. 
Apavorados, centenas de moradores avançaram contra Fabiane, acreditando se tratar da sequestradora. A dona de casa, descrita como uma pessoa dócil e faladeira, lutava para superar os distúrbios do transtorno bipolar. Para serenar as crises, gostava de cantar e dançar. Abraçado a um diário de Fabiane, que completaria 34 anos no dia 6 de julho, Jaílson lembra que a mulher imaginou que se casaria com ele na igreja, dias antes de morrer. 
Com olhos mareados e voz trêmula, Jaílson conversou com site de VEJA, no litoral paulista. Vestia uma camiseta com foto da mulher e da filha mais nova. A imagem resume o sentimento da família: "Fabiane, a dor da inocência". Jaílson pausou a conversa diversas vezes para respirar fundo, mas não deixou escapar nenhuma lágrima:
"Quero me lembrar dela viva, e não massacrada".



O ajudante de serviços gerais Lucas Rogério Fabrício Lopes, de 19 anos, que confessou terparticipado da morte brutal da dona de casa Fabiane Maria de Jesus, de 33 anos, disse nesta quinta-feira à Polícia Civil que dois outros agressores foram executados por traficantes que atuam no bairro Morrinhos, no Guarujá (SP). Fabiane foi espancada até a morte no último sábado após ter sido confundida como uma suposta sequestradora de crianças na região.
Lopes foi detido por policiais militares nesta madrugada e teve a prisão preventiva decretada pela Justiça. Preso no 1º Distrito Policial do Guarujá, ele admitiu ter dado duas pancadas com a roda de uma bicicleta na cabeça de Fabiane, conforme registrado em vídeos feitos pela multidão. Lopes também disse que outras pessoas que participaram do linchamento fugiram de Morrinhos. Os policiais fazem buscas por outros agressores identificados em vídeos feitos pela população.
Segundo investigadores, há relatos de que traficantes estariam aplicando castigos em moradores de Morrinhos em represália ao espancamento de Fabiane. "Soube que muitas pessoas que participaram do linchamento fugiram do Guarujá", afirmou Lopes à polícia.

No depoimento à polícia ao qual o site de VEJA teve acesso, Lopes apontou a participação de dois outros agressores, identificados como Alex, o "Pote", e Pepê. 
Segundo Lopes, Pepê é seu vizinho e vestia uma bermuda  de cor vinho no dia do espancamento. 
Ele usou um fio elétrico para amarrar Fabiane. Lopes disse que a mãe de Pepê foi até a sua casa e avisou que ele tinha sido morto por marginais.

Lopes disse ter “escutado boatos de que Alex (Pote) também sumiu, junto com Pepê, e deve ter sido morto por marginais”. Alex aparece nas imagens de bermuda preta e sem camisa amarrando as pernas da vítima, segundo Lopes. Eles jogavam futebol juntos no bairro. “Ele [Alex] agrediu muito a vítima e, a todo o momento, dizia ‘é ela mesmo, tem que matar’”, relatou.
Veja.com

Você pode gostar de...

0 comentários

Criticas ou sugestões?

Nome

E-mail *

Mensagem *

Visitantes