DEPOIS DE AMEAÇAS, BRIGAS E DISCUSSÕES SEM ATENDER OS MILITARES GDF ANUNCIA REFORMAS PARA AS CARREIRAS DE PMS E BOMBEIROS

14:49Carlos Alberto-Jornalismo,isento e sem compromisso com mentiras.!

GDF recebe estudo para reestruturar carreira da PM e dos Bombeiros.

DOCUMENTO, QUE PREVÊ MELHORIAS PARA AS DUAS CORPORAÇÕES, SERÁ AVALIADO PELOS GOVERNOS LOCAL E FEDERAL ANTES DE CHEGAR AO CONGRESSO NACIONAL.


Um estudo técnico elaborado com o objetivo de reestruturar as carreiras da Polícia Militar (PM) e do Corpo de Bombeiros Militar (CBM) foi recebido, nesta terça-feira (15), pelo governador do Distrito Federal.

Com 144 artigos e aproximadamente 90 páginas, o documento engloba as principais reformas solicitadas pelas duas corporações.

Integrante da comissão responsável por elaborar o estudo, o coronel da PM Marcos Nunes enfatizou que entre as principais demandas estão o retorno do auxílio para inativos, já que esse segmento perde benefícios após a aposentadoria, e mudanças no processo de promoção das praças.

"Um soldado leva, no mínimo, 28 anos para subir do posto de soldado para subtenente. Com a nova proposta, serão promovidos cursos a cada quatro anos, e o tempo seria reduzido para 20 anos. Além disso, a promoção não mais dependerá de vagas", destacou o coronel Nunes, em solenidade no Palácio do Buriti.

Segundo ele, a medida permitirá que os militares mais antigos ascendam para a carreira do oficialato. "Também pensamos em outros benefícios, como redução do tempo de carreira das mulheres para 25 anos", complementou Nunes.

O coronel detalhou, ainda, que a proposta foi elaborada com base nos eixos da reestruturação para atender aos anseios de ambas as forças, como a modernização administrativa e de gestão e mais qualidade e eficiência.

"Nós estamos preparando nossas instituições para os mais modernos modelos de segurança pública e já mostramos nossa capacidade na Copa do Mundo. Agora, queremos dar às nossas forças o que elas merecem", explicou o comandante-geral da PM, Anderson Moura.

O vice-presidente da Associação dos Policiais e Bombeiros (Aspra), o sargento Manoel Sansão, lembrou o amplo debate estabelecido entre as corporações para estabelecer as demandas contidas no documento.
Correio Braziliense.

MAS NA OPINIÃO DE UMA DAS LIDERANÇAS DOS SERVIDORES MILITARES DO DF CONHECIDO COMO TENENTE POLIGLOTA, A CONVERSA É BEM OUTRA:

Segundo as informações divulgadas na mídia e na própria página do GDF, serão feitos as “análises”pelas secretarias de Administração Pública (Seap) e de Fazenda, o GDF encaminhará proposta à Casa Civil da Presidência da República, que, por fim, a enviará para votação no Congresso Nacional. Vocês imaginam quanto tempo leva isso?

Ora, foram quantos meses para a conclusão desse ProjeTo? A instituição dispõe de mecanismos que permitem fazer um levantamento técnico-financeiro do impacto de um ProjeTo dessa natureza. Criaram uma comissão onde a maioria era oficiais QOPM e as Praças apenas partícipes virtuais, pois segundo as informações recebidas, inclusive por alguns membros/colaboradores da referida comissão, somente passavam por lá e batiam o ponto. Detalhe: Segundo a própria Ata, nenhuma Praça assina como membro e sim colaborador. Aí aproveito um comentário pertinente no blog onde um leitor declara:
“Só finalizando, o que esperar de um projeto onde 5 Oficiais QOPM são MEMBROS (dos quais 4 assinam a ata), 4 Oficiais QOPM são COLABORADORES (dos quais 2 assinaram a ata) e 6 são Praças COLABORADORES (dos quais 5 assinaram a ata dentre eles um que não representa a tropa por motivos óbvios)? Lamentável.”
Fonte da Ata: http://www.pmdf.df.gov.br/site/images/pdf/ata_comissao_pm_bm.pdf

Não tecerei um comentário mais aprofundado do tema, haja vista não ter sido apresentado o ProjeTo na íntegra; o RESUMÃO até aqui apresentado foi uma belíssima estratégia de esconder o que de fato tem no interior disso e até onde as praças são beneficiadas ou prejudicadas. Pelo que vi e li até o momento, vejo que os pilares principais e que são unanimidade na categoria não foram levados em consideração, que são a ascensão funcional permitindo a fluidez da carreira através das promoções, arecomposição salarial imediata diante do arrocho de mais de 8 anos e por fim a preocupação com a inatividade, onde se faz necessário a tranquilidade ao policial para cuidar de si e sua família.

Os parâmetros usados em diversas categorias de servidores Brasil afora são promoções funcionais num prazo máximo de 15 anos, e de repente assistimos embasbacados anunciarem com pompa que policiais atingirão o topo da carreira de praça com 20 anos. É brincar mesmo com a inteligência do policial e do bombeiro.

O que pude concluir é que mais uma vez estão tentando adoçar a boca da categoria com um ProjeTo fantasioso e eleitoreiro, onde a minoria será beneficiada em detrimento da maioria. 
Votar um ProjeTo desses, seja através de PL ou MP, em ano eleitoral onde o Congresso e candidatos estarão comemorando suas vitórias nas urnas em suas bases eleitorais será o mesmo que voltarmos à Copa do Mundo e darmos mais um chance a seleção brasileira.

Mas outubro está aí. Vamos aguardar o resultado das urnas e ver onde verdadeiramente esse governo quis chegar. Uma coisa é certa: Seja qual for o candidato eleito (de preferência de oposição), que ele fique ciente que esse ProjeTo deverá ser retirado de pauta, esteja onde estiver, por uma questão MORAL, refeito e reenviado com TODAS as necessidades que atenda ao que as categorias desejam há tempos e não ao que governantes sem compromisso querem.


Tenente Poliglota.

Você pode gostar de...

0 comentários

Criticas ou sugestões?

Nome

E-mail *

Mensagem *

Visitantes