PRESIDENTA DILMA ROUSSEF VISITA A FERROVIA NORTE-SUL EM ANÁPOLIS E CONFIRMA RAPIDEZ NO ANDAMENTO DA OBRA

18:02Carlos Alberto-Jornalismo,isento e sem compromisso com mentiras.!


A logística de transporte de cargas do País está ganhando cada vez mais investimentos do Governo Federal, o que permite reduzir os custos no mercado interno e externo, além de permitir a integração da rede logística.
O trecho da Ferrovia Norte-Sul, em Anápolis, que a presidenta Dilma Rousseff visitará nesta terça-feira (12), já está em operação.
A extensão Sul da mesma ferrovia tem 62% de obras concluídas, num trecho de 682 km.
A integração do trecho Anápolis (GO) – Porto Nacional (TO) com o trecho Palmas (TO) – Açailândia (MA) totaliza 1.547km de linha férrea já em operação entre Goiás e Maranhão. Completa, a ferrovia Norte-Sul terá mais de 4 mil km de linhas que atravessam os estados do Maranhão, Pará, Tocantins, Goiás, Minas Gerais, São Paulo, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul.



















 A FIOL-Ferrovia de Integração Oeste Leste é a outra parte do grandioso projeto de se dotar o Brasil do mais moderno e completo sistema ferroviário do mundo.

Em um País continental como o Brasil, as ferrovias possibilitarão movimentar mercadorias e bens de forma mais eficiente e com redução de custo logístico, o que aumenta a competitividade dos setores produtivos e impulsiona também o comércio exterior, com capacidade inclusive para reduzir custos de frete dentro do próprio País.
“O Brasil está dando um passo significativo na construção de uma infraestrutura ferroviária. Estamos resolvendo agora este problema para transportar toda a carga, diminuir a presença nas estradas e diminuir a emissão de gases de efeito estufa, melhorando também o meio ambiente. Estamos nos tornando mais competitivos”, comemora a presidenta.


Logística de transporte
Em maio deste ano, a presidenta Dilma entregou o trecho de 855 km de ferrovia entre Anápolis (GO) e Porto Nacional (TO). Este trecho se interliga com o segmento entre Palmas e Açailândia (MA), com 719 km e que está em operação desde 2007.
Com isso, a Norte-Sul começa a estruturar-se como uma coluna vertebral ferroviária para o Brasil, proporcionando acesso dos produtores a vários portos e corredores de exportação. Além de estimular a competitividade intermodal, não só entre os portos, mas também entre os operadores logísticos que realizarão o transporte da carga.
Além dos 1.053 km de ferrovias já entregues por Dilma, há outros 2.545 km de obras em andamento, como os 682 km de extensão da própria Norte-Sul que estão com 62% das obras realizadas. A Ferrovia de Integração Oeste-Leste (FIOL) está com 46% realizados entre Ilhéus (BA) e Caetité (BA). A malha ferroviária brasileira atingiu, em 2013, cerca de 28 mil km.
A ampliação da malha dos últimos anos também impactou a indústria ferroviária. Os investimentos das concessionárias em material rodante, trilhos e componentes de sistemas de controle de tráfego têm mantido crescimento constante.
As encomendas de vagões levaram a indústria nacional a aumentar fortemente seu índice de ocupação. Só em 2013, foram produzidos três mil vagões nacionais e 100 locomotivas, aumento de quase dez vezes em relação a 2006, quando o índice começou a ser medido.
Fotos:Internet.



Você pode gostar de...

0 comentários

Criticas ou sugestões?

Nome

E-mail *

Mensagem *

Visitantes