PRESÍDIO DA PAPUDA: SERÁ QUE ESTÁ TUDO BEM LÁ DENTRO?

16:18Carlos Alberto-Jornalismo sério

Na semana passada a imprensa do DF noticiou a morte de um preso na Papuda.
Ontem mataram mais um em Pedrinhas no Maranhão.
Mas está mesmo tudo calmo e certinho lá dentro daquele caldeirão, com mais de 12800 presos?
Ao ver as rebeliões que andam acontecendo no Paraná e em Pedrinhas, um presídio que fica na entrada da capital maranhenses, São Luiz, onde este ano já morreram 15 presos e no ano passado foram 65 mortes, os olhares naturalmente se voltam para o presídio do DF, que aparenta estar na mais perfeita ordem!

ESTARÁ MESMO?

ESTARIAM OCORRENDO MORTES DE PRESOS NA PAPUDA EM BRASÍLIA?
PARENTES TENTAM DENUNCIAR SEM ÊXITO, MORTES DE PRESOS NA PAPUDA EM BRASÍLIA.



Diferente do que aconteceu em São Luiz  capital do Maranhão, na Penitenciária de Pedrinhas, em que imagens chocantes de assassinatos com degolas e  corpos retalhados em um rodízio macabro de chacinas, repercutiram internacionalmente sem qualquer providência do Governo do Estado do Maranhão ou dos órgãos públicos que deveriam zelar pela segurança e integridade dos presos, em Brasília um estranho e sincronizado silêncio, cria uma falsa sensação de que tudo está bem a todas as horas e em todos os dias da semana.



Penitenciária de Pedrinhas em São Luiz no Maranhão: Estas imagens correram o Brasil e o mundo todo, mostrando a falência do sistema prisional brasileiro!
E na Papuda e seus anexos em Brasília, tudo está bem?
Segundo informações ouvidas de parentes de presos, quer procuram a imprensa, ou até mesmo o Ministério Publico do DF para denunciarem em estado de desespero de causa, que seus parentes foram assassinados, eles saem com a impressão de que falaram com portas, paredes e muros, pois em momento nenhum, ouvem ou veem qualquer notícia na mídia local em todos os níveis, e nem sequer em programas de noticiário policial, qualquer referencia aos fatos.
Após segundo eles, perderem parentes presos, por mortes dos mais diversos modos dentro dos muros da Papuda.

Foi o que aconteceu na última quinta-feira, 5/6, com uma senhora que após ver uma mãe gritando desesperada, na porta da Papuda, voltando para casa, e que teria  acabado de receber a confirmação da morte do filho, enforcado na cela na última quinta feira, afirmou a um repórter e blogueiro que se encontrava no local, que além daquele, outro preso teria sido morto na mesma ala, possivelmente também de morte violenta e provavelmente queimado.
Ao se dirigir a assessoria de comunicação da Secretaria de Segurança do DF, como em outras vezes este veterano repórter já fez, toda e qualquer informação é desmentida, e negada veemente qualquer fato relacionado a uma ou mais mortes de sentenciados em qualquer dos pavilhões do Complexo da Papuda.
Outro fato trazido ao conhecimento da grande imprensa, que teima em não divulgá-los, são os acertos acontecidos quando de flagrantes com drogas, em que o preso tido como denunciador de quem seria o dono do entorpecente, passa a ser cobrado, apanha, tem os dedos quebrados e corre o risco até de ser morto, se os familiares não depositarem a importância em contas indicadas, o valor relativo as drogas, pela família do acusado, sem qualquer intervenção dos policiais, que segundo informações de parentes apenas afirmariam, em estado de indiferença total, que "bandido com bandido se entendem" e "eles que resolvam".
Fica a indagação e uma certeza apenas: Considerado o atual estado de desespero e abandono do sistema prisional do Brasil em todos os aspectos, com processos e condenações chegando aos casos escabrosos como em Pedrinhas, graças a proverbial morosidade judiciária, à lotação excessiva, e até casos de sentenças vencidas, pode-se afirmar sem sombra de dúvidas, que este é um quadro que favorece plenamente a tais acontecimentos, pois se é certo quer o preso errou e tem      que pagar na forma da lei, é bom lembrar quer, após iniciar o cumprimento de sua pena o preso tem o direito de ter a sua integridade  garantida pelo pela mesma lei e pelo mesmo Estado que o condenou!
Onde está, portanto a verdade?
O preso paga por seu crime, a mãe chora e o Estado se omite e esconde as informações de quem já está sendo punido aqui fora mesmo sem ter errado?
Mas com certeza, tais fatos não acontecem de jeito nenhum na ala onde estão presos "suas excelências", já bastante conhecidas pelos crimes do colarinho branco que praticaram!

E FICA A PERGUNTA: ONDE ESTÁ ESTE INVESTIMENTO ANUNCIADO EM 21.08.2012?
(http://memoria.ebc.com.br/radioagencianacional/materia/2012-08-21/secretaria-de-seguran%C3%A7-p%C3%BAblica-do-df-investir%C3%A1-r-15-milh%C3%B5es-para-aumentar-capacid#.UDPddKekvPU.twitter)

Secretaria de Segurança Pública do DF investirá R$ 15 milhões para aumentar capacidade do sistema prisional

As obras nas penitenciárias deverão ser concluídas até o final de 2013 com o objetivo de reduzir o atual déficit de 5 mil vagas no sistema prisional. Inicialmente, serão construídos dois módulos no Centro de Detenção Provisória, com 400 novas vagas; outros dois módulos na Penitenciária Feminina, com capacidade para mais 400 detentas,e um módulo no Centro de Progressão Penitenciária.




Karlão-Sam

Você pode gostar de...

0 comentários

Criticas ou sugestões?

Nome

E-mail *

Mensagem *

Visitantes