JÁ VAI TARDE DONA ROSEANA, DIZEM OS MARANHENSES! E AINDA SAI DANDO PREJUÍZO!

19:41Carlos Alberto-Há 40 anos vivendo Brasília!





Após vários anúncios extraoficiais, a agora ex-governadora do Maranhão, Roseana Sarney, renunciou ao cargo, na manhã desta quarta-feira (10), em solenidade para poucos no Palácio dos Leões, sede do governo. Logo após, o presidente da Assembleia Legislativa, o deputado estadual Arnaldo Melo (PMDB), anunciou o fato e, finalmente, assumiu a primeira cadeira do Estado após ser diversas vezes enganado.

Para quem não sabe, Arnaldo Mello assume o governo porque Washington Luiz, que era vice-governador, deixou o cargo em novembro do ano passado para ocupar uma vaga de conselheiro do Tribunal de Contas do Maranhão (TCE). Roseana Sarney atribuiu a saída do cargo à necessidade de cuidar da sua saúde.
 
Após descer as escadas do Palácio dos Leões, nesta manhã, já com o título de ex-governadora, ela embarcará para a cidade de Miami, nos Estados Unidos, onde deve permanecer por um bom tempo. No Brasil, continuarão correndo as investigações contra ela no Superior Tribunal de Justiça (STJ), no caso da Constran a quem adiantou precatórios, segundo denúncias, em troca de propina. Correm também contra Roseana acusações em relação também ao caso da Petrobras que está com a Polícia Federal.

Foram quatro mandatos

Roseana governou, nada mais, nada menos,  por quatro mandatos, inclusos nas mais de cinco décadas de domínio do grupo Sarney no Estado. Em janeiro, assumirá o governador eleito, Flávio Dino (PCdoB), segundo ele, para inaugurar um novo ciclo. A responsabilidade é grande, afinal o Maranhão é campeão de índices negativos em quase tudo e hoje consegue ser bem pior do que o Piauí, que entrou em ritmo de desenvolvimento.

Primeira mulher eleita para governar um Estado brasileiro, Roseana Sarney Murad foi eleita deputada federal em 1990 pelo então PFL. Em 1994, foi eleita, pela primeira vez, governadora do Maranhão.

Em 2002, elegeu-se senadora. Em 2006, foi candidata pela terceira vez ao governo do Maranhão, mas perdeu para o pedetista Jackson Lago. Mas após tirar o ex-governador no tapetão, em ação que foi reconhecida pela Justiça, posteriormente, como injusta, em 2009, reassumiu o governo do Estado, sendo reeleita no ano seguinte.

Confira na íntegra a nota oficial da governadora Roseana Sarney


“Foram anos de muito trabalho. Nos últimos meses, cumpri uma extensa agenda de visitas, vistorias e inaugurações de obras em dezenas de cidades do Maranhão. Agora, por recomendações médicas, me recolho para um descanso necessário, pelo bem da minha saúde. Aos maranhenses e àqueles que escolheram nosso estado para viver, o meu muito obrigada por terem me dado a honra de representá-los. Peço a Deus que abençoe a todos e que ilumine os nossos futuros governantes.”
http://silviatereza.com.br/

E AINDA SAI DANDO PREJUÍZO AOS MARANHENSES:


Ela ao deixar o governo terá por direito a uma aposentadoria, claro, com todo direito. Mas  com  sua renuncia o sucessor  que governará o estado por menos de um  mês também se aposentará, aí é que entra o prejuízo em nossos bolsos,  um salário de 25,000 R$ ( vinte e cinco mil reais) todo  mês a té o fim dos dias do substituto.
Cá entre nós, de cara com a verdade isto é uma vergonha.

Diz o artigo 45 do Ato das Disposições Constitucionais Transitórias: “Cessada a investidura no cargo de governador do Estado, o ex-governador que tenha exercido o cargo em caráter permanente fará jus, a título de representação e desde que não tenha sofrido suspensão dos direitos políticos, a um subsídio mensal e vitalício igual aos vencimentos do cargo de desembargador” (grifos meus).
Como se vê, o texto não faz mais qualquer menção ao tempo em que o governador esteve no cargo. Basta assumir “em caráter permanente” para fazer jus ao benefício.
Portanto, se aprovado o projeto de lei de autoria do deputado Alexandre Almeida (PTN), que prevê a possibilidade de o presidente da Assembleia assumir o cargo de governador definitivamente, sem a necessidade de eleição, Arnaldo Melo terá, sim, direito a uma aposentadoria assim que deixar o Palácio dos Leões.
Agora, se quer mesmo provar que estão apenas “queimando” sua imagem indevidamente com essa história de aposentadoria, o presidente da Casa tem o dever de renunciar a esse direito.
Por Valmir Araújo

Você pode gostar de...

0 comentários

Criticas ou sugestões?

Nome

E-mail *

Mensagem *

Visitantes