SAÚDE PÚBLICA; VERGONHA NACIONAL DE NORTE A SUL-PACIENTES DO ACRE COM CÂNCER NÃO CONSEGUEM TRATAMENTO!

18:40Carlos Alberto-Jornalismo sério

SEM RADIOTERAPIA NO AC, PACIENTES COM CÂNCER RECORREM AO TFD.
Aparelho de radioterapia está quebrado há sete meses.
'não temos condição. nem meu pai quer sair do estado', diz filha de paciente.
Gerson descobriu o câncer e ainda não começou o tratamento (Foto: Murilo Lima/G1)
Com o único  aparelho de radioterapia quebrado desde janeiro de 2015, os pacientes do Hospital do Câncer (HC) em Rio Branco, precisam ser encaminhados por meio do Tratamento Fora de Domicílio (TFD) para outros estados para fazer o tratamento. De acordo com o gerente administrativo, Fernando Sampaio, o aparelho deve ser consertado até a próxima sexta-feira (28), prazo que a equipe técnica pediu para resolver o problema.
Sampaio diz que a equipe da empresa argentina, responsável pela fabricação da máquina, ultrapassou o prazo para o conserto do aparelho e pediu mais 14 dias para concluir o serviço. O gerente do hospital informou que os pacientes que necessitam do atendimento, estão sendo encaminhados para dar continuidade ao tratamento em outros estados.
"Desde o início, começamos a encaminhar os pacientes para o TFD, e eles estão fazendo o seu tratamento tanto em Porto Velho, como em Barretos (SP). Temos listas de encaminhamentos de pacientes. Ninguém ficou sem atendimento, mas lógico que o tempo de espera é maior. Quando o equipamento estava funcionando, os pacientes poderiam ser atendidos no máximo em uma semana, agora a pessoa pode esperar até mais de 15 dias", explica o gerente.
Sampaio acrescentou que os pacientes que não saíram do estado para fazer o tratamento foi porque não tinham condições clínicas de se deslocar. É o caso de pessoas em estado avançado da doença e idosos, mas o gerente garantiu que esses pacientes estão recebendo atendimento.
A estudante Nadja Naira Bezerra, de 25 anos, está com o pai doente há um mês. Segundo ela, a doença foi descoberta em São Paulo e somente na quinta-feira (20) o último exame saiu e foi possível descobrir qual o melhor tratamento. Nadja diz que o pai vai precisar fazer quimioterapia e radioterapia ao mesmo tempo, e para isso terá que viajar.
Preocupada com o tempo de espera, a jovem conta que o pai está debilitado e já perdeu 10 quilos depois que descobriu a doença. A família, segundo ela, não tem condições de se manter em outro estado, e essa é uma das muitas preocupações nessa fase em que estão vivendo.
"Meu pai está fraco e com o psicológico abalado. Não temos condições e nem ele quer ir para longe do estado. Espero que a gente consiga levá-lo para Porto Velho, já que esse aparelho daqui não está funcionando. Fomos informados de que o prazo é de pelo menos quinze dias de espera. A gente está orando para que seja isso mesmo, não sei como vai ser se demorar mais que isso", diz a jovem.
Não temos condições e nem meu pai quer ir para longe do estado"
Nadja Bezerra
Nadja fala ainda que teve que abrir mão da faculdade por conta da doença do pai. Segundo a estudante, foi preciso trancar seu curso para poder acompanhar o pai no tratamento. "Como eu que vou ter que acompanhá-lo, acabei trancando meu curso. Se o tratamento fosse feito aqui, eu não ia precisar desistir da minha faculdade e ia poder cuidar dele com a ajuda da família. É mais desgaste ainda ter que sair da nossa casa e ir para um lugar longe onde não conhecemos ninguém", conta.
O paisagista Gerson Camelo Faria, de 58 anos, descobriu um câncer na próstata há dois meses e ainda não pôde iniciar o tratamento por conta da falta do equipamento. Ele conta que foi informado da possibilidade de fazer uma cirurgia, mas que com a radioterapia o problema poderia ser resolvido também.
"Fui informado de que a cirurgia pode durar uns três meses para conseguir. Então, estou esperando o que chegar primeiro, tanto a cirurgia como a radioterapia. O médico me disse que o meu câncer está na fase inicial e que só com a radioterapia já poderia resolver. Me informaram que dia 28 de agosto o aparelho já estaria arrumado, estou com esperança disso para começar meu tratamento o mais rápido possível", diz Faria.
Em entrevista ao G1, publicada no dia 10 de abril, o secretário de Saúde do Acre, Armando Melo, disse que os pacientes que precisam do atendimento no estado estariam sendo encaminhados para dar continuidade ao processo em outros estados, através do Tratamento Fora de Domicílio (TFD).

Ainda de acordo com ele, o aparelho já possui sete anos em operação e existe uma empresa contratada pelo Estado para fazer a manutenção no Acre. Todavia, por causa do tipo de manutenção que precisa ser realizada atualmente, tornou-se necessária a vinda da equipe argentina.

Iryá Rodrigues Do G1 AC

Você pode gostar de...

0 comentários

Criticas ou sugestões?

Nome

E-mail *

Mensagem *

Visitantes