E AGORA PT? DELCIDIO DETONOU ALUIZIO MERCADANTE NA DELAÇÃO PREMIADA E COMPROMETEU DILMA ROUSSEF ATÉ OS OSSOS!

15:50Carlos Alberto-Há 40 anos vivendo Brasília!

DELCIDIO DETONA ALUÍZIO MERCADANTE NA DELAÇÃO PREMIADA E COMPROMETE DIL ROUSSEF ATÉ OS OSSOS!


Em delação premiada homologada nesta terça-feira, o senador Delcídio Amaral acusou o ministro da Educação Aloizio Mercadante de tentar suborná-lo com ajuda financeira, política e jurídica. Em troca, o ministro pedia que ele ficasse calado. Delcídio ficou preso por três meses e foi no dia 19 de fevereiro passado sob acusação de tentar impedir as investigações da Operação Lava-Jato ao prometer ao filho de Nestor Cerveró dar fuga ao pai.

A acusação de Delcídio a Mercadante foi publicada pela revista Veja, que teve acesso à delação premiada, que segue em segredo de Justiça. O sigilo pode cair ainda nesta terça-feira uma vez que hoje o ministro Teori Zavascki, relator da Operação Lava-Jato no Supremo Tribunal Federal (STF), homologou a delação premiada do senador petista. O ministro retirou o sigilo do processo, que deve ser divulgado até o final do dia.

No dia 3 de março passado, a delação de Delcídio vazou pela primeira vez para a imprensa. A revista IstoÉ divulgou detalhes da delação premiada do senador Delcídio do Amaral (sem partido-MS) que teria 400 páginas. O senador acusou a presidente Dilma Rousseff de atuar três vezes para interferir na Operação Lava-Jato por meio do Judiciário. "É indiscutível e inegável a movimentação sistemática do ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo e da própria presidente Dilma Rousseff no sentido de promover a soltura de réus presos na operação", afirmou Delcídio na delação, segundo a revista. Uma das investidas da presidente Dilma, segundo Delcídio, passava pela nomeação do desembargador Marcelo Navarro para o Superior Tribunal de Justiça (STJ). "Tal nomeação seria relevante para o governo", pois o nomeado cuidaria dos habeas corpus e recursos da Lava-Jato no STJ", afirma a reportagem.

Delcídio contou aos procuradores que a estratégia foi discutida com Dilma no Palácio da Alvorada e que sua tarefa era conversar "com o desembargador Marcelo Navarro, a fim de que ele confirmasse o compromisso de soltura de Marcelo Odebrecht e Otávio Marques de Azevedo", da Andrade Gutierrez.

Conforme a IstoÉ, Delcídio se reuniu com Navarro no próprio Palácio do Planalto, no andar térreo, em uma pequena sala de espera, o que, segundo o senador, pode ser atestado pelas câmeras de segurança. No STJ, Navarro cumpriu a suposta orientação, mas foi voto vencido.

Na sua delação, Delcídio teria citado vários nomes, entre eles o do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, e detalhou os bastidores da compra da refinaria de Pasadena pela Petrobras, entre outros assuntos.

Sobre Lula, o senador disse que partiu do ex-presidente a ordem para que ele tentasse convencer o ex-diretor da Petrobras Nestor Cerveró, preso na Lava Jato, a não implicar José Carlos Bumlai numa eventual delação premiada.

Delcídio foi preso em novembro do ano passado sob acusação de tentar promover a fuga de Cerveró do País. O filho de Cerveró, Bernardo, entregou ao Ministério Público uma gravação sobre o suposto plano.

No acordo, o ex-líder do governo no Senado também cita irregularidades envolvendo parte da bancada do PMDB na Casa, além de representantes da oposição, como o senador e presidente nacional do PSDB, Aécio Neves (MG).

No caso dos peemedebistas, os nomes mencionados foram do presidente do Senado, Renan Calheiros (AL), e de seu grupo mais próximo, formado pelos senadores Romero Jucá (RR), Edison Lobão (MA), Jader Barbalho (PA), Eunício Oliveira (CE) e Valdir Raupp (RR).

http://www.diariodepernambuco.com.br/

Você pode gostar de...

0 comentários

Criticas ou sugestões?

Nome

E-mail *

Mensagem *

Visitantes