featured

JORNALISTA ASSASSINADO EM SANTO ANTONIO DO DESCOBERTO: POLICIA PRENDE SUSPEITO E CONSEGUE MAIS INFORMAÇÕES SOBRE O CRIME.

17:27Carlos Alberto-Jornalismo sério

O jornalista João Miranda do Carmo, assassinado em 24 de julho, em Santo Antônio do Descoberto (GO), foi alvejado por 13 tiros dentro do quintal de sua residência, a curta distância. A informação consta nos laudos da autópsia e da cena do crime feitas pela Polícia Civil de Goiás. O documento esclarece que muitos dos disparos atingiram as costas, tórax, pernas e braços da vítima, o que indicaria tentativa de fuga.

Um 14º projétil foi encontrado encravado em uma parede e será periciado. A polícia suspeita que so crime foi cometido por duas pessoas, que chamaram a vítima, atiraram e fugiram em seguida. O principal suspeito é Douglas Ferreira de Morais, que pode ter planejado o assassinato para vingar o irmão, preso em fevereiro por homicídio após o jornalista publicar reportagens sobre o caso.

Histórico de ameaças
 O jornalista trabalhava há 15 anos na cidade. Há quatro mantinha um site de notícias locais chamado “SAD Sem Censura”, onde várias notícias policiais e de problemas da cidade eram postadas. Em 2014, seu carro incendiado e um amigo de João Miranda do Carmo afirmou que a vítima vinha recebendo ameaças há seis meses.

CHEFE DE SEGURANÇA DA PREFEITURA É DETIDO COMO SUSPEITO PELO CRIME:
Suspeito de participar do assassinato do jornalista João Miranda do Carmo, 54 anos, o chefe de segurança da Prefeitura de Santo Antônio do Descoberto (GO), Douglas de Morais, 40 anos, foi detido por volta das 17h de ontem. A informação foi confirmada pela Polícia Civil do estado. A prisão do servidor é preventiva por 30 dias.
Morador do município, Douglas foi abordado na residência da mãe, no Parque Santo Antônio. Ao ter conhecimento da informação, a enteada do comunicador, Valéria Ribeiro, 18 anos, disse que “a justiça está sendo feita”.
Conhecido por divulgar denúncias políticas locais na internet, a vítima estava sozinha em casa quando levou vários tiros pelo corpo, no último domingo. No total, foram 22 disparos, segundo a filha do jornalista – sete teriam acertado o homem no peito e no rosto. João Miranda comandava o portal S.A.D. Sem Censura, onde trazia à tona irregularidades e ocorrências da região.
Na edição de ontem do Jornal de Brasília, o delegado-chefe Pablo Batista esclareceu trabalhar com várias linhas de investigação: “Desde uma pessoa incomodada com as publicações até alguém que possa, de fato, ter encomendado o crime”. Além disso, a Polícia Civil acredita que outros crimes possam estar envolvidos.
De acordo com o titular da delegacia, até o prefeito Itamar Lemes do Prado poderá ser chamado para depor, caso tenha o nome mencionado: “Por hora, ainda não. Outras pessoas serão chamadas”.
Saiba mais
A vítima teria sido ameaçada após publicação de um vídeo em que o prefeito aparece pagando  uma funcionária. Em 2015, ele também noticiou a prisão de um homem por homicídio, irmão de Douglas.
Jornal de Brasília.

Você pode gostar de...

0 comentários

Criticas ou sugestões?

Nome

E-mail *

Mensagem *

Visitantes