featured

VERGONHA NACIONAL NO DIA 7 DE SETEMBRO: A CHAMA DO PANTEÃO DA PÁTRIA PERMANECEU APAGADO!

07:16Carlos Alberto-Jornalismo,isento e sem compromisso com mentiras.!


VERGONHA NO DIA DA PÁTRIA: A “CHAMA ETERNA”PANTEÃO TANCREDO NEVES ESTAVA AOPAGADO NO DIA 7 DE SETEMBRO!

Nada funciona neste Governo do DF!
"Chama eterna'" do Panteão da Pátria, na Praça dos 3 Poderes, permaneceu apagada no Dia da Independência
Monumento de Oscar Niemeyer está 'desligado' há dois anos; GDF afirma que fogo será reaceso ainda em setembro.
Há exatos 32 anos, a primeira chama do Panteão da Pátria de Brasília foi acesa. A proposta era que o "fogo perpétuo" representasse a liberdade conquistada com a Independência do Brasil, em 1822, e a democracia, reestabelecida após o fim da ditadura militar, em 1985.
Na época, a Constituição de 1988 ainda não havia sido publicada.
Em 2016, porém, o fogo foi apagado pela primeira vez – em meio ao processo de impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff e a escândalos políticos decorrentes da Operação Lava-Jato.
Nesta sexta-feira (7), quando Brasília comemora o Dia da Independência, a chama continua extinta.
A previsão inicial da Secretaria de Cultura para retomada da normalidade era julho. Agora, a estimativa é de que a situação seja regularizada até o fim de setembro.

Fogo interditado
O monumento, de Oscar Niemeyer, foi interditado pela Defesa Civil em 31 de agosto de 2016.
A causa: um vazamento de GLP (gás liquefeito de petróleo).
Em coletiva de imprensa na segunda (3), o subsecretário do Patrimônio Cultural, Gustavo Pacheco, disse que o tanque de armazenamento do combustível e a estrutura que garante a "chama eterna" nunca tinham passado por reforma.
Por isso, segundo ele, foi preciso instalar um novo tanque, com capacidade para armazenar uma tonelada de gás. Essa carga é suficiente para pouco mais de um mês, e o reabastecimento cabe à própria Secretaria de Cultura.
A obra foi orçada em R$ 149,7 mil e começou em março de 2018, sob comando da Basic Engenharia. Além do tanque, as tubulações e o acendedor da chama foram trocados.
A empresa responsável também fez a limpeza completa do revestimento da base, com substituição de pedras quebradas.

 História do Panteão
 O monumento foi projetado por Oscar Niemeyer em homenagem ao ex-presidente Tancredo Neves, à liberdade e à democracia. Por isso, a pira nunca deveria se "esgotar".
O Panteão foi construído em concreto revestido de mármore branco, e inaugurado em 7 de setembro de 1986.
A obra abriga, ainda, um painel sobre a inconfidência mineira, pintado pelo artista João Câmara Filho, e o Mural da Liberdade, de Athos Bulcão. Em 2007, o local foi tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan).

Fonte: *Via G1/Clipping

Você pode gostar de...

0 comentários

Criticas ou sugestões?

Nome

E-mail *

Mensagem *

Visitantes