featured

CHEFE DA ONU PEDE QUE O MUNDO IMPEÇA, EM VEZ DE REAGIR AO GENOCÍDIO

19:40Carlos Alberto-Há 40 anos vivendo Brasília!

CHEFE DA ONU PEDE QUE O MUNDO IMPEÇA,

EM VEZ DE REAGIR AO GENOCÍDIO


A foto do arquivo tomada o 4 de junho de 2017 mostra crânios das vítimas ruandeses do genocídio no memorial do genocídio de Kigali em Kigali, Ruanda. Kigali Genocide Memorial é o lar de mais de 250.000 vítimas do genocídio. Tem três exposições permanentes, a maior das quais documenta o genocídio de 1994. Há também um memorial para crianças e uma exposição sobre a história do genocídio em todo o mundo. (Xinhua / Lyu Tianran)
NAÇÕES UNIDAS, 7 de dezembro (Xinhua) - O secretário-geral da ONU, Antônio Guterres, pediu na sexta-feira à comunidade internacional que previna, em vez de reagir ao genocídio, porque o crime não acontece da noite para o dia.
"O genocídio é deliberado e premeditado e requer preparativos sérios que levam tempo. Esses preparativos devem dar ao mundo tempo para agir", disse Guterres em um evento para celebrar o 70º aniversário da Convenção sobre Prevenção e Punição do Crime de Genocídio e o tratado internacional. dia para comemorar as vítimas do genocídio.
A Convenção do Genocídio tem caráter preventivo e pune atos específicos que são cometidos com a intenção de destruir, no todo ou em parte, um grupo nacional, étnico, racial ou religioso, disse ele.
Esses atos incluem matar membros do grupo; causar sérios danos corporais ou mentais aos membros do grupo; deliberadamente infligir ao grupo condições de vida calculadas para causar sua destruição física total ou parcial; impor medidas destinadas a prevenir nascimentos dentro do grupo; e transferência forçada de crianças do grupo para outro grupo.
Prevenir o genocídio significa prestar muita atenção a essas disposições, disse Guterres.
"Tragicamente, a comunidade internacional às vezes falha em dar atenção aos sinais de alerta e tomar medidas precoces e decisivas. Em vez de impedir o genocídio, ainda estamos reagindo a isso, muitas vezes tarde demais".
Desde o fim da Segunda Guerra Mundial, a comunidade internacional não conseguiu impedir o genocídio no Camboja, Ruanda e Srebrenica na ex-Iugoslávia, observou ele.
Nas últimas duas décadas, o mundo pelo menos começou a responsabilizar os perpetradores, disse ele. O Tribunal Criminal Internacional para a ex-Iugoslávia, o Tribunal Criminal Internacional para Ruanda e as Câmaras Extraordinárias nos Tribunais do Camboja condenaram todos os perpetradores pelo crime de genocídio.
O trabalho desses tribunais reflete uma decisão bem-vinda de punir perpetradores de genocídio, disse ele.
A Assembleia Geral da ONU, em setembro de 2015, designou o dia 9 de dezembro como o Dia Internacional de Comemoração e Dignidade das Vítimas do Crime de Genocídio e da Prevenção deste Crime. 9 de dezembro é o aniversário da adoção da Convenção do Genocídio de 1948.
A Convenção do Genocídio foi o primeiro tratado de direitos humanos adotado pelas Nações Unidas. Ele incorpora uma determinação coletiva para proteger as pessoas da brutalidade e evitar a repetição dos horrores testemunhados pelo mundo durante a Segunda Guerra Mundial, disse Guterres.
A convenção foi ratificada ou adotada por 149 estados; 45 estados membros não se tornaram parte dele, observou Guterres. "Peço a esses 45 estados que considerem se tornar um partido como uma prioridade urgente. A participação universal enviará um sinal unificador de determinação neste 70º aniversário."
Ele também pediu aos estados que já fazem parte da convenção que apoiem ​​seus compromissos com a ação. "Prevenir e punir o genocídio é o dever, a responsabilidade e a obrigação de toda a comunidade internacional".


Você pode gostar de...

0 comentários

Criticas ou sugestões?

Nome

E-mail *

Mensagem *

Visitantes