featured

BRASÍLIA 60 ANOS! CRÔNICA DE UMA CIDADE TRAÍDA POR SEUS GOVERNADORES E OS CARÍSSIMOS DISTRITAIS, AO ENTRAR NA MELHOR IDADE! (MELHOR IDADE?)

23:25Brasília, Brasil e o mundo sem retoques!

BRASÍLIA 60 ANOS! CRÔNICA DE UMA CIDADE TRAÍDA POR SEUS GOVERNADORES E OS CARÍSSIMOS DEPUTADOS DISTRITAIS!



BRASÍLIA 60 ANOS! CRÔNICA DE UMA CIDADE TRAÍDA POR SEUS GOVERNADORES E DISTRITAIS, AO ENTRAR NA MELHOR IDADE! (MELHOR IDADE?)
(NOS ÚLTIMOS 15, QUASE QUE SÓ DECEPÇÕES)
Nada mais natural do que comemorar um aniversário. O que se dirá de comemorar 60 deles!
Em Brasília, todos os anos quando chega setembro, os ipês florescem, o Distrito Federal se renova. Há cerca de 700 mil árvores desse tipo, de várias cores, espalhadas por todos os lados.
Talvez seja este um dos únicos motivos que fazem com que os brasilienses sorriam, mesmo agora, estando de máscaras no rosto o dia inteiro pelo menos no Plano Piloto. E embora tenha se apropriado dos ipês em sua logomarca de Governo, os atuais mandatários parecem não ter a mesma preocupação em “embelezar” a saúde, o transporte e a segurança pública dos desiludidos brasilienses!
Mas sem dúvida, aos 60 anos, chegamos querendo ou não, a um encontro com nossa história, com a história de nossas vidas, com nossos destinos, erros, vitórias e, quedas e fracassos.
Nada se compara ao fato de que com o tempo somos capazes de um discernimento, uma visão poderosa de análise, que nunca temos aos 20 ou 30 anos.
E isto faz pensar: Com uma cidade aos chegar aos seus 60 anos, seria a mesma coisa?
Inegavelmente, e com a nossa Brasília também.
Só que neste caso, temos que nos despir da roupa de cidadãos e encarar o frio que a verdade nos traz o qual só vemos com clareza se formos lá fora.
E é desse jeito que podemos ver como especialmente, nos 15 anos que se foram antes que chegassem os 60, nossa cidade foi enganada, esbulhada, usada, roubada e nossa cidadania estuprada por vilões políticos e gangsters de todas os matizes ideológicos e partidários.
(E antes que venha o mimimi; A palavra “nuance” (“matiz” em francês) é feminina já na sua origem e assim permanece no português. Dizemos, portanto, “as nuances”, com artigo feminino. ... No Volp (“Vocabulário Ortográfico da Língua Portuguesa”), no entanto, bem como nos demais dicionários, o registro continua sendo masculino).
Um péssimo momento com o que vivemos, e que trás a lembrança, os 3 últimos governos, dois deles dirigidos por esquerdista, numa estranha combinação de fatores extra eleitorais de praxe, que levaram o DF a ser governado duas vezes pelos piores tipos políticos que não imaginaríamos em nossos piores pesadelos: AGNELO Queiróz que ficou tristemente conhecido como “ Magrão”, “Agnulo” e outros pouco graciosos, no oceano de corrupção que devastou o Brasil, deixando marcas indeléveis aqui quando se lembra por exemplo do Estádio que vergonhosamente ficou conhecido por ser o estádio da Copa 2014, mais caro erguido no Brasil e por ter seus próceres sido presos pelo menos uma vez em operações policiais.
Mal refeitos do susto e após perder para outro plano o mito Joaquim Roriz, o único a governar o DF por quatro mandatos, e também om único a conservar sua aura de popularidade até o ultimo dia de vida, eis que os brasilienses após vomitarem os dois socialistas de péssima lembrança, Agnelo e Rollemberg, veem-se diante da figura incógnita de Ibaneis Rocha que numa reta final de campanha conseguiu se eleger e ter a proeza de derrubar um socialista detestado pelo povo pela segunda vez na tentativa deles de continuar a governar o DF.
Vestido com a roupagem ao estilo de pedir votos como fazia Roriz, quando se compara os estilos de andar, falar e percorrer as cidades como o ex-governador fazia, Ibaneis deu uma surra de votos no concorrente Rollemberg, cujo ganhou do brasiliense alguns dos piores trocadilhos e menos lisonjeiros já visto em Brasília, e que saiu humilhado da eleição e foi se abrigar num cargo no gabinete da ex-musa do vôlei, agora Senadora Leila Barros, a quem graças a uma secretaria generosamente e inutilmente entregue a ela, e quase nenhum trabalho feito na área do esporte, conseguiu o feito de eleger-se senadora, fazendo ao menos um bem ao nosso sofrido povo; tirou de cena o malfadado e hipócrita senador Cristovam Buarque, quase dono do cargo enquanto teve a militância petista o carregando nas costas e conseguindo seus votos junto ao quase ingênuo ou seria desinteressado eleitorado do DF, ele que teve sua única bandeira pela qual nunca fez nada de louvável, a Educação, tomada pelo próprio partido que lhe meteu o pé no traseiro quando ministro, via telefone.
Leila do Vôlei, já começou seu mandato de forma cômica ao dizer que iria “trabalhar em detrimento da população do DF”!
Ganhamos sem dúvida uma senadora bem preparada; preparada para concorrer em programas humoristas, ou quem sabe apresentando shows em “stand by”!
E continua o brasiliense se decepcionando, mesmo tendo que agradecer a Ibaneis Rocha por ter nos livrado do socialista destruidor de barracos, com moradores dentro.
Ao chegar há um ano de Governo, Ibaneis despiu-se do que vestia, e mostrou ser serviçal de um partido, que tirando uma letra do nome, continua afamado por jamais conseguir ser oposição, após a perda do grande Ulisses Guimarães, e por ter vivido vergonhosamente um casamento de 15 anos com o PT e seus cúmplices, cuja história de “terra arrasada brasilis” todos conhecem.

Ele que todos sabem, está sob domínio total e sobre pressão do “GI-Grupo dos indiciados”, onde quase todos os seus componentes tem alguma passagem nas famosas barras da Justiça, ou seja, “misteriosamente”, aquela mesma turma que governando o DF por 15 anos e tendo ficado nus após tantos esquemas de corrupção descobertos, conseguiu se unir, arranjando o nome de um desconhecido no quadro político e num jogo de sombras que só a história futura poderá contar, elegeram Ibaneis Rocha.
Ibaneis Rocha, hoje nu, e sem ter nada do carisma de Roriz, parece seguir a risca dos modelos socialistas de governar, nacionalmente conhecido por serem bons de reuniões e péssimos de resultados, naquele estilo que parece ser muito bom se atender a Brasília da corte da Corte, e que já ganhou neste um ano e meio o nome de “Governo(lá) de Brasília”, ele que esqueceu das mais de 30 cidades satélites que rodeiam o DF, agigantadas fisicamente, algumas com população chegando aos 500 mil habitantes, e totalmente repletas de carências e ausências das políticas administrativas e de governança, tendo todas, sem exceção, se transformado apenas em moedas de trocas ou balcão de negócios para outra categoria que vem sendo sistematicamente avaliada como cara e inútil, totalmente distante do povo das nossas cidades.
Brasília enfim, deixou de ser a folclórica “meninas dos olhos de Roriz” e passou a ser a madurona enganada, traída e desprezada, principalmente naquelas nossas cidades como aqui na minha Samambaia, onde depois de ter tipos estranhos com nada a ver com a história da cidade, seus anseios ou  suas conquistas, vindo até de fora do DF, e que foram apelidados entre outras coisas, como “administrador regional invisível”, outro ganhou o pacato nome de “joão-bobo”, e outro ganhou o sinistro apelido de “Administrador Frankenstein”!
em um ano e meio de Governo já foram dois administradores regionais ambos ao estilo administradores internos, por nunca serem vistos pelas ruas, correndo a cidade e vendo suas necessidades e carências.
E ainda pior, conduzida e tomada como capitania, por um distrital que mal teve 1500 votos na cidade, mas que a recebeu de Ibaneis Rocha, fazendo um jogo duplo com os servidores da Saúde que o elegeram, votando o que o Governador pede e claro levando suas vantagens em tudo.
Assim como naquele folclórico ditado do ex-jogador Gérson.
Montando um  verdadeiro “cabideiro”, repleto de empregos na máquina de Governo e em Samambaia, nomeando a parentela em peso, para desfrutarem languidamente do ar condicionado e das delicias do salário caindo na continha a custa dos trabalhadores e pagadores de impostos, a grande maioria que o nunca o viu mais gordo ou magro e sequer sabe de onde ele veio e como e porque se elegeu.
Brasília, e nós seus cidadãos que a amamos como eu, aqui desde 1969, ficando velhinha e enganada, sem nada para desfrutar da sua “melhor idade”.
Quem poderá nos salvar?
Não sei: Mas o certo é que Ibaneis Rocha já mostrou que começa a cair como ídolo que buscou tornar-se, ao mostrar que seus pés são de barro!  
Assim como sua conversinha do estilo boi dormir para cima do eleitorado candango que pelo menos já mostrou saber muito bem descartar seu lixo político!
Mas, apesar de tudo e somente pelo seu heroico povo, "Parabéns Brasília", que amo desde os meus 16 anos!
Karlão-Sam.

Você pode gostar de...

0 comentários

Criticas ou sugestões?

Nome

E-mail *

Mensagem *

Visitantes